Monday, July 11, 2005

Uma questao de escolha!

Sem sombra de dúvidas, a Vida é mesmo composta por uma seqüência de escolhas que fazemos dia-a-dia, quando a própria Vida nos oferece novas oportunidades a cada novo amanhecer... e com ela nao foi diferente... a Vida lhe ofereceu oportunidades... ela fez suas escolhas...

Sua mae foi prostituta, seu pai, desconhecido... a Vida, como toda mae amorosa, ofereceu-lhe a primeira oportunidade... aos poucos dias de vida ela foi entregue a uma família honesta, que embora sem maiores recursos financeiros, pôde cobri-la de carinho, amor e oportunidade de estudo, como toda e qualquer criança de sua idade, criada em uma família dedicada...

Embora criada com tanto carinho recebido por parte da família, a Vida lhe ofereceu a primeira prova e a primeira oportunidade de fazer suas opçoes... ainda criança ela foi molestada sexualmente pelo esposo de uma de suas irmas adotivas (a única casada naquela época). Abuso este que durou desde terna infância até começos da adolescência. Ela era linda, parecia uma boneca e esta foi toda a sua culpa, toda sua responsabilidade, nada mais fez para merecê-lo, mas a Vida deu-lhe a oportunidade de calar ou falar... ela optou pelo silêncio e cresceu deixando que florecesse dentro de si todo um sentimento de revolta e de percepçao e aceitaçao de todos os vícios humanos...

Aos dez ou onze anos, a Vida lhe mostrou que além do que já vinha sofrendo física e emocionalmente, também havia, entre os homens, outros vícios pelos quais ela poderia optar por aceitá-los ou rejeitá-los... Aos dez ou onze anos ela pode colocar pela primeira vez um cigarro na boca... e gostou da sensaçao que sentiu... fumar fez com que ela pensasse e se sentisse poderosa, superior a suas coleguinhas de escola e vizinhança... acredito até que a tenha feito sentir mais bonita, principalmente porque naquela época, "fumar era bonito!" (???)

Chegou a puberdade e a pré-adolescência e todo o abuso físico e emocional sofrido até entao, fez com que crescesse dentro dela um sentimento de revolta e rejeiçao ao sexo que a ofendia... mais uma vez a Vida esperou que ela fizesse sua opçao... desta vez sua opçao sexual... e ela optou por amar ao mesmo sexo, mais suave, mais seguro, menos cruel! O problema maior foi haver feito esta opçao em uma época em que ser lésbica ainda era sinônimo de completa perversao, ou até mesmo de doença contagiosa... mas ela nao se importou com isso!

Aos dezoito anos ela ainda oscilava um pouco em sua opçao sexual, embora nao se importasse muito com o que ser lésbica fosse representar em sua vida, a sociedade lhe cobrava uma aparência distinta da que ela desejava ter, e por este motivo optou por tentar relacionar-se com alguém do sexo oposto, o mesmo que a havia feito sofrer durante toda sua infância... esta opçao nao funcionou... na primeira tentativa de intimidade deste primeiro e único namorado, ela percebeu que nao poderia ser o que a sociedade desejava dela e optou por ser ela mesma... e naquele momento, optou também por ter a aparência que desejava ter... uma aparência quase masculina, nao fosse o tamanho dos seios que a Vida lhe ofereceu e dos quais nunca pôde livrar-se por falta de recursos financeiros...

A partir de entao, a Vida lhe ofereceu várias oportunidades e ela fez suas opçoes. Optou por ser vítima por toda a vida... Optou pelo caminho mais fácil, e também o mais rápido para "afundar". Optou por nao mais estudar... Optou por nao dedicar-se a um trabalho que lhe pudesse dar uma melhor vida, economicamente falando... Optou por beber para poder esquecer todas as oportunidades perdidas... todas as que ela mesma podia haver feito diferentemente, mas nao o fez!

Já adulta optou por viver com várias mulheres distintas... uma delas aidética, mas felizmente nao chegou ao ponto de contrarir esta enfermidade, mas já tinha dentro de si tantas outras, que esta, certamente nao lhe faria falta alguma... teve algumas tantas doenças venéreas, mas pôde curar-se de todas, felizmente!

Optou entao por viver com uma mulher que já havia sido casada e que tinha uma filhinha, naquele entao com 6 ou 7 anos, nao mais que isso. Creio haver encontrado nesta pessoa, o verdadeiro amor de sua vida e isso a encheu de grande felicidade... No entanto, seguiu sua opçao pelo fumo, pela bebida, pela nao dedicaçao a um trabalho que pudesse proporcionar a ela, e a sua nova família, uma melhor vida, com maiores e melhores oportunidades... Mais fácil foi optar por viver das sobras, por viver do que o pai do seu amor (seu sogro, embora ninguém soubesse disso) poderia oferecer a elas com sua parca pensao alimentícia de aposentado.

Optou por viver ali, naquele lugar tao "imundo", em um beco, em um quartinho no fundo da casa dos familiares do amor de sua vida... ali acreditou que supostamente seriam "felizes para sempre", esquecendo-se, no entanto, que a Vida passa, e com ela os anos, e com ele, as oportunidades que vao ficando cada vez menores a medida que se envelhece, principalmente, quando, em um mundo onde o que conta em primeiro lugar é a aparência e aparência é algo que a ela pouco importa. Ela nao se importa se nao se parece nem a um homem, nem a uma mulher, chegando a causar espanto e curiosidade por onde passa...

A Vida também exige que para ser bem sucedido a pessoa tem que ter estudo... É a forma que a Vida tem de pre-selecionar aqueles que vao poder oferecer melhores e maiores oportunidades a suas futuras famílias!

A Vida também lhe ofereceu, entre outros 3, uma irma e dois sobrinhos que a amam de verdade, que há algum tempo estiveram dispostos a fazer muita coisa por ela, mas ela optou por manter-se afastada deles, nao levando em consideraçao este amor sincero e desinteressado...

Optou por ser vítima por toda sua vida... Optou por fumar... Optou por beber... Beber para esquecer as oportunidades que a Vida lhe ofereceu e que passaram sem que ela pudesse ter usufruido, apesar de seu bom coraçao, apesar de sua simpatia...

Hoje ela está a beira de completar 47 anos... Tao cronologicamente jovem, tao fisicamente idosa...

Hoje ela está a beira de completar 47 anos e já penteia seus cabelos brancos há tanto...

Hoje ela está a beira de completar 47 anos e vive a míngua, em uma situaçao financeira de apiedar a qualquer Filho de Deus...

Hoje ela está a beira de completar 47 anos e já nao pode andar, já nao tem forças para isso...

Hoje ela está a beira de completar 47 anos e vai morrer, mais dia menos dia, pois a sua opçao por fumar a está a matar com um câncer que lhe causa dores horríveis e uma enorme vontade de já nao viver...

Ela é minha tia... adotiva, mas minha tia... a mais amada, no entanto a que menos soube dar valor a este amor e às oportunidades que a Vida lhe ofereceu!

12 Deixaram aqui suas Palavra(s) de Amor:

Margarida V

tenho passado por aqui quase todos os dias á espera de ver coisas novas.
fico feliz que tenhas voltado e voltarei amanhã.
beijos e boa semana

looking4good

Um retrato corajoso, pungente e dramatico mesmo. Acho que toda a gente merece pelo menos uma fase de felicidade, mesmo que tenha de passar outras fases de sacrificios. Neste caso parece que a vida exagerou no infortunio. Lamento...

Anonymous

olá
Triste e deixou-me de rastos.
Sinto pena...

Beijinho
Christina

BlueShell

Muito forte, este texto! Mas é , muitas vezes assim, a vida! Não devia ser...mas...
Grata pelo teu comentário!
Jinhos mil, Bshell

MARTA

"Life is a bitch" - acho que os americanos utilizam esta frase e nós dizemos "para uns é mãe; para outros é madrasta".
Neste caso, foi madrasta e madrasta das piores. A única coisa que há a fazer é ajudar a morrer com carinho e a dignidade que a vida lhe negou. Não sei se estou a ser cruel, mas ela precisa agora de todo o amor que desconheceu.
Para ela, um grande xi e que Deus a guarde
Marta

augustoM

Carmem gostaria felicitar o teu regresso, mas não posso, com a história tão triste da tua tia.
A atitude dela perante a vida é compreensível, a desilusão é tão grande que resolveu desistir dela porópria.
Um abraço. Augusto

Alma de Poeta

Querida Carmen...obrigada pela coragem de partilhares connosco este que deve ser um drama emocional para ti e família. Quero-te dizer o seguinte:
Esse drama que vive a tua tia que é da minha idade,portanto da minha geração,infelizmente é um drama muito comum na geração dos meus pais. Eu mesma sou filha ilegitima e isso não fez com que minha mãe me desse para optar, graças a Deus , a ela e ao meu pai, que apesar de ser casado, teve a dignidade de enfrentando a sociedade e familia e assumir aquilo que na altura era considerado o seu " pecado". Molestar crianças, na minha idade e na idade da tua tia, quase todas as crianças o eram, eu não fui violada, mas cheguei a ser abusada também.O que me marcou de certo modo e me fez revoltar de modo a jurar a mim mesma que nunca ninguém ,jamais, haveria de me tocar sem que eu deixasse.
Amiga, mas cada ser humano reage de maneira diferente. A minha opção passou por querer ser um ser humano que merecesse sempre respeito por mim própria e também da sociedade. Fumar como dizes naquela altura de adolescencia era bonito era a novidade, o afirmar da adolescência e eu também fumei, mas deixei. Mas é preciso saber quando há um limite. Apesar da tua tia ter sido recolhida numa boa familia, certamente lhe faltou o apoio para não descer ao fundo do poço. A percepção atempada de que algo se passaria pelas reações que certamente a criança denunciaria . Hoje em dia as famílias estão muito mais atentas a esses pormenores, graças também á divulgação cada vez mais insistente da comunicação social, e à própria cultura das pessoas, etc. A questão da opção sexual dela não é drama na nossa sociedade actual. Amiga para finalizar digo-te que nunca é tarde, e quando voltares a ver a tua tia, diz-lhe que longe, noutro país, alguém que conheçe bem o sentimento e revolta que ela cresceu vivendo, lhe manda um beijo com muito carinho e um apelo que ela não se deixe mais vencer pela vida, mas seja ela uma vencedora porque nunca é tarde para gostarmos de nós mesmas.
Tocou-me muito a tua história.
No inicio do meu blog, tenho lá algo que escrevi e se intitula " Filha de um amor proibido ".....beijo grande para ti pelas palavras e pelo carinho que demonstras por esse ser humano que não é mais do que uma vitima da sociedade em que nasceu.

Adryka

Olá amiga ainda bem que voltaste é sempre bom ter os amigos por cá.
Beijinhos

mfc

Uma história de vida que pode(decerto será...) ser real.
Capítulo a capítulo se vai desenhando o desenlace final!
Que 47 anos que mais parecem cem!

Betty Branco Martins

Querida Carmem

Um retrato muito triste, muito sofrido.

Lamento pela tua tia
Lamento também pelo teu sofrimento

Um grande abraço

Friedrich

É extenso o texto, mas valei a pena partilhares esse momento tão intimo e ao mesmo tempo comovente, não só por se tratar de uma pessoa tão jovem ainda, mas por nos fazer pensar de como a vida para muita gente é madrasta… A vida tem destas coisas, não as podemos escamotear por trás de falsos sorrisos, são estas realidades que nos fazem pensar que de facto não somos mais do que pequenas partículas de erros da natureza… Sim é triste, mas não por se tratar da sua opção sexual, mas sim por ser uma pessoa que ao longo da sua vida se encontrar nos sítios errados, com pessoas erradas que desconhecem o mal que lhe causaram…

Beijos para ti, e para ela também!

OrCa

Ocorre-me o quase mau gosto de um lugar-comum, segundo o qual a nossa vida é, na imensa maioria das vezes, o resultado das nossas opções.

Terrível é, perante uma vida como a que descreves, não termos mais nada para dizer para além do quase mau gosto de um lugar comum...

Beijos.

Related Posts with Thumbnails
 
BlogBlogs.Com.Br