Friday, July 29, 2005

Parece um sonho!

Parece um sonho que há exato um ano, Luquinha estava chegando aos Estados Unidos, depois de um ano de batalha judicial para poder conseguir tirá-lo do Brasil...

A história foi mais ou menos a seguinte:

Tendo sido mae solteira de Lucas, tive que criá-lo só com a ajuda de minha mae durante muitos anos... mas para meu infortúnio, o "pai" dele o registrou com seu nome (usar aqui a palavra pai para a pessoa que me ajudou a dar-lhe a vida é até um insulto depois do que ele fez, mas nao me resta outra...)...

Confesso que ter o nome do pai na certidao de nascimento de Lucas nunca foi um problema, pelo contrário, até era bom no sentido de que ele nao tinha que passar alguns inconvenientes como às vezes passam algumas crianças pelo fato de, na certidao, levar o nome de "pai desconhecido" ou algo semelhante...

O problema veio quando, na minha inocência (por desconhecimento completo do tema) tentei tirar o passaporte de Lucas para que ele pudesse vir comigo para os Estados Unidos... aí sim, começou a minha novela, que mais pareceu um destes dramalhoes mexicanos que costumamos ver nas tvs do Brasil e também por aqui...

Toda contente cheguei na Polícia Federal com toda a documentaçao necessária para tirar o passaporte de Luquinha, quando, para minha surpresa, o oficial disse que faltava a autorizaçao de viagem assinada pelo pai. Eu nao compreendia como uma pessoa que nunca fez um nada para ajudar a criá-lo, que desapareceu no mundo sem deixar rastros, fosse naquele momento, pessoa tao importante a ponto de impedir o meu intento!

Procurei, entao, informaçoes de como conseguir esta autorizaçao, uma vez que o paradeiro do seu pai era desconhecido e entao me disseram que eu teria que entrar com uma petiçao no Juizado da Infância e Juventude e o juiz assinaria a autorizaçao em nome do pai ausente... pareceu-me simples... simples??? só entao foi que começou a novela...

Fui no Juizado, dei entrada na documentaçao que me pediram, e só entao nos demos conta de uma coisa que nao sabíamos até entao... que meu nome estava digitado errado na certidao de nascimento de Lucas... o meu Carmem acaba com M e ali estava que acabava com N e isso tinha que ser resolvido antes da emissao do passaporte, pois nao podia haver nenhuma discrepância entre os dois documentos... O problema? O problema é que morávamos já em Aracaju, Sergipe, Nordeste do Brasil e Lucas nasceu em Goiânia, Goiás, Centro-Oeste do Brasil e alguém já viu o tamanho do Brasil?

Consegui, graças ao meu amigo Thiago Augusto, advogado recém-formado e com muita disposiçao e boa vontade em ajudar-me, que o Cartório de Registros de Goiânia aceitasse a documentaçao enviada por correio, depois, claro que houvesse todo um juízo para corrigir o meu nome que estava digitado equivocado, o que, pasmem, nao levou menos de 3 meses.. só para trocar uma letrinha...

Voltando ao Juizado de Infância e Juventude, ali me disseram que nao me preocupasse que o trâmite todo nao ultrapassava os 60 dias... 60 dias??? multiplicados por quantos??? isso foi o que me "esqueceram" de dizer... Todo o processo constava em publicar em Edital a busca pelo pai desaparecido, o que levava mais ou menos 30 a 40 dias e depois disso o juiz firmar a sentença para que a autorizaçao fosse emitida, e, com ela, finalmente, o passaporte...

Mas para que vejam a burocracia como funciona no Brasil, este processo de 60 dias, durou, nada mais, nada menos que 360 dias... ou seja, os 60 iniciais, que me foram informados, multiplicados por 6, pois neste meio tempo, os juizes tinham que tirar férias de verao e férias de inverno, tinha que haver greve da Justiça, entre outras tantas coisas que já nem me lembro, ou que me bloqueei para nao lembrar, para nao morrer de raiva...

O detalhe da história? Eu já estava nos Estados Unidos, fazendo tudo isso via procuraçao deixada para meu irmao e minha mae que todas as semanas, durante quase um ano, estiveram pressionando a "Justiça" para que o processo fosse finalizado...

Eu bem compreendo que há que haver um cuidado redobrado no problema de saída de menores de idade do Brasil, uma vez que há muito tráfico infantil... mas o problema maior está em que eu, mae legítima, enfrentei uma dificuldade tao absurda para ter o meu filho junto comigo, enquanto traficantes entram e saem com crianças sequestradas todos os dias, do país, e ninguém se dá conta... ninguém vê!!! Mas a mim, sim, me viram...

Resultado foi que quando já estava para completar um ano de trâmite na Justiça, lá teve que entrar o meu querido Thiago outra vez na história para poder ajudar na finalizaçao do processo, pressionando, agora ele, como advogado, para que o processo fosse finalizado!

Enfim, em abril de 2004, um ano depois de ter dado entrada na documentaçao no Juizado, finalmente a autorizaçao foi liberada... O Juiz de Direito da Vara de Infäncia e Juventude de Aracaju, Sergipe, finalmente autorizava a que MEU filho saísse do Brasil para vir viver na MINHA companhia... Graças a Deus!!! Graças a Deus? Mas e o restante do drama? Ai, ai, ai... este estava ainda por começar...

De posse do passaporte em maos, da autorizaçao de viagem e tudo mais, era chegada a hora de ir ao Consulado dos Estados Unidos para conseguir o seu visto de dependente do meu esposo, um visto como o meu H-4... coisa aparentemente simples, uma vez que é uma obrigaçao do Consulado emitir estes vistos de dependentes de trabalhadores H-1, e nao um favor que nos fazem... mas parece que esqueceram de dizer isso aos oficiais do Consulado dos Estados Unidos em Recife...

De posse de toda a documentaçao exigida, minha, do próprio Lucas e de Rafael, meu esposo, chegaram ao Consulado, Lucas e meu irmao, na condiçao de meu representante legal no Brasil... Lucas foi todo bonito, todo perfumado, todo educadinho e chegando lá disseram NAO, negaram-lhe o visto... disseram que o tio nao podia acompanhá-lo que tinha que ser a mae (eu, na época com 8 meses de gravidez) ou o pai (de novo o pai desaparecido)... e disseram mais... que Rafael teria que ser ou seu pai legítimo, ou que tivesse adotado a Lucas legalmente, perante a Justiça...

Nova novela... lá fomos nós entrar em contato direto com a Embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, em Brasília, com o Congresso Nacional aqui nos Estados Unidos e com o Departamento de Imigraçoes daqui que insistia em que o Consulado estava equivocado, enquanto o Consulado insistia de que todos, menos eles, estavam equivocados...

Depois de muita peleja, de muita confusao, de muito vai prá lá e vem prá cá, lá foi Rafael de viagem ao Brasil, depois que recebemos uma chamada do próprio Consulado de Recife, dizendo que Lucas comparecesse ali juntamente com o padrasto e tudo ia ser resolvido (claro, eles já tinham levado um puxao de orelha da Embaixadora, do Departamento de Imigraçoes daqui e da Congressista Zoe nao sei quê - me esqueci o sobrenome-, a quem sou eternamente grata pela ajuda)...

Ok... tudo resolvido... como? tudo resolvido?!!! Recebo uma chamada de minha mae dizendo que entrasse em contato com o Consulado outra vez porque nada havia sido resolvido, que lhe haviam negado o visto outra vez... (?????) mas como? Nao já estava tudo certo? Pois é... os brutos dos policiais que ficam na entrada do Consulado nao deixaram Rafael entrar, somente a Lucas, e quando Lucas se aprensentou, disseram que sem o padrasto presente, nada feito, mandaram sair e pronto...

Liguei para o Consulado, falei com a pessoa encarregada por este caso e ela já estava desesperada querendo saber onde podiam encontrar, em Recife, naquele mesmo momento, a Lucas e a Rafael para que eles pudessem voltar de urgência ao Consulado porque a própria Cônsul (que voltou a levar um puxao de orelha) ia atendê-los e emitir o visto no mesmo momento... Consegui localizá-los e ao final do dia, recebi, finalmente, uma chamada positiva... minha mae me chamava para dizer que tudo havia sido resolvido, afinal... Isto já era dia 21 de Julho de 2004...1 ano e 3 meses depois do início de todo o processo...

E finalmente, a 29 de Julho de 2004 Lucas pode aparecer com sua carinha sorridente diante de minha porta, para abraçar-me e eu a ele, depois de um ano e meio de tristezas, separaçao e saudades imensas, lágrimas e desespero...

E por que lhes conto tudo isso? Porque hoje eu SOU FELIZ, MUITO FELIZ, porque tenho minha família comigo... uma família linda, meu esposo maravilhoso, meu Luquinha que hoje é quase um homem já e muito educado e bom e minha filha linda, Carmen Letícia, que veio para completar a nossa felicidade!

Hoje eu digo que toda esta história parece um sonho... mas para mim sim, é um sonho... um SONHO REALIZADO!

Um lindo fim de semana para todos!

Muitos beijos, muitas flores e muitos, muitos, muitos sorrisos!!!

26 Deixaram aqui suas Palavra(s) de Amor:

stillforty

Tremenda história com um final Feliz!
Bom fim de semana e beijos

lualil

Carmem,
É impressionante o excesso de burocracia e como se não bastasse isso há o excesso de má vontade em todo lado deste mundo quase perdido.. "quase" porque a chegada do Lucas junto a ti nos da uma esperança de que há sempre a possibilidade de um final feliz!
Emocionaste-me...
beoijos a esta familia tão linda!

Cristina

sua historia é desesperante mas afinal o que é um ano e tal de espera se o resultado for a felicidade?
assim todos conseguissem.
um abraço de portugal

Estrela do mar

...vou de férias Carmen...não estranhes a minha ausência...mas volto logo em Setembro...

Beijinhos.

Miguel Nobre

Oi
Parabéns

http://miguel-nobre.blogspot.com/

margusta

Carmen ainda bem que conseguis-te realiazar o teu sonho embora á custa de sofrimento.Os filhos são a nossa maior riqueza.
Parabens tens um blog muito bonito

Margarida V

que historia, mas finalmente tens o teu filho junto a ti.
fico feliz que tudo acabou bem.
beijos de boa semana

sonhos sonhados

kerida Carmem

estas páginas do teu diário
que transmitem
com tanta doçura
a tristeza
...e...
a batalha que tiveste
de enfrentar...
são hoje
um pedaço de ti...

...melindroso
...angustiante
...infeliz
...choroso
...mas...
que prova verdadeiramente
o quanto sabes amar!

quando se ama
lutámos como leoas
e
vencemos!

foi isso que aconteceu amiga...
hoje...
és uma mulher muito feliz
e
tens junto a ti
"os teus grandes amores".

parabéns ao Luquinha
por ser tão bonito
e
tão bom filho...

parabéns à Carminho
por ser uma bébé tão docinha.

parabéns ao Rafael
por ser um pai magnífico
de dois filhos maravilhosos
(porque ser pai é amar,
e não apenas ser pai biológico)

...e parabéns
à Mamã Carmem
que me provou mais uma vez
que não só...é...
..........uma mãe
excepcional......
como uma mulher valente
corajosa
amada
e
muito feliz.

beijux da létinha
para os "teus amores"
e
um muito especial para TI.

ponto azul

Pois é amiga, a vida tem destas coisas...mas finalmente tudo correu bem!Bjs :-)

Å®t_Øf_£övë

Carmen,
Confesso que me comovi ao ler a tua história.
Já tinha percebido por outros textos teus que a tua vida não tem sido fácil.
Mas também não te esqueças que o que é bom custa sempre mais a conseguir.
Esta história teve pelo menos um final feliz,aliás como todoas as tuas histórias,daí seres uma pessoa muito feliz junto de toda a tua familia que tanto amas.
Continua assim,a seres uma pessoa positiva,amiga,mas acima de tudo FELIZ.
Beijinhos.

Adryka

Olá Carmem vim deixar-te o meu beijinho

Brian

UAU! Que história. Sei que deve ser muito gratificante ter a família reunida. Vc deve ser muito mais forte após essa grande luta. Tenha um bom dia!

Um abraço,
Brian

Anonymous

Olá
Que história espantosa.
Afinal a burocracia existe em todo o lado...
Ainda bem que conseguiste o que querias.
Beijinho
Christina

looking4good

Grande historia. Sem duvida digna de figurar nas efemerides. Afinal passou um ano desde que o processo ficou resolvido. Estas burocracias (em era de internet, de viagens a Lua, de clonagem) sao inacreditaveis mas sempre presentes e em todo o lado, Brasil, Portugal, Estados Unidos...e China. Infelizmente. Ainda bem que se pode vangloriar de um final feliz... Bem haja

Pecola

Cucu!.. Ai que momentos bons deves estar a ter. =o) Beijinhos e dá notícias! :)

Alma de Poeta

Finalmente conseguiste vencer mais uma batalha....minha amiga és uma lutadora.Parabéns tb por conseguires ter o teu filhote contigo.
Um beijo para ti minha amiga e que sejas feliz nessa familia que tens e parece maravilhosa.Sê feliz

Eclipse

que história!
Realmente nada como seguir nosso coracao e batalhar por nossos direitos e ideiais!
Parabéns pela força e pela coragem!
Mereceste esse final feliz!
Beijos e bom fim de semana.

augustoM

Cármen fico contente com a tua felicidade, conseguiste, e ainda bem, o que muita gente não consegue, livrar-se dessa teia medonha que é o resultado da mistura, de política, brocaria e incompetência.
Um beijo. Augusto

BlueShell

saudade que eu já tinha de te ler. Que bom!

***BShell ;)

Estrela do mar

...@miga mesmo de férias venho deixar-te um beijinho de carinho...

Até SETEMBROOOOOOO.

BlueShell

Beijos mil, às carradas...
BShell

Vera Cymbron

Que bom que as coisas se resolveram pelo melhor!
Jinhos grandes.

Cacusso

História fantástica, mas um final feliz!
Uma família incrível, amigos que aprendi a respeitar.
A hisstória fez-ma lembrar uma odisseia minha....
Quando a minha mulher, Maria do Carmo, se divorciou o registo de nascimento foi alterado, passando a ostentar esse novo facto.
Casou-se comigo...e o facto igualmente ficou registado.
Até aqui nada de anormal.
Com o ex dela naturalmente sucedeu o mesmo.... divórcio averbado no assento de nascimento.
Voltou a constituir família e isso igualmente ficou registado...
Particularidade - a segunda esposa dele possui o mesmo nome próprio - Maria do Carmo!
O funcionário da conservatória do registo civil verifica o documento na diagonal, sorri, comenta que aquele voltou a casar com a mulher de que se havia divorciado... e ponto final.
Um dia, regressado de Recife e pretendendo tirar documentos para a esposa, brasileira, permanecer em Portugal chega á conclusão que não é casado com a esposa mas sim, de novo com a minha mulher que, a fazer fé dos documentos, de forma cruzada, mas oficial, é polígama!!!
Isto daria, como no teu caso, uma novela de todo o tamanho não fosse dar-se o caso - feliz acaso - de que a responsável pela conservatória, que assinou o averbamento, ser minha amiga de infância...
Como o mundo é pequeno e cheio de coincidências!!
Neste caso, com apresentação de certidões dos segundos casamentos de ambos, verificado o lapso e tudo presente á mesma conservadora, pôde o assunto resolver-se, desfazendo o «conspícuo casamento paralelo» da minha esposa e ficar tudo definitivamente ordenado... mas só a presença da minha amiga evitou ali uma séria de problemas legais que demorariam tempos infinitos e incómodos evidentes a resolver!
Beijos para esse lado do Atlântico!

Anonymous

Que história! Quanta burocracia para atrapalhar a vida das pessoas, meu Deus! Mas Parabéns pela luta, pela persistência, pelo final feliz. Que essa família bonita seja sempre cheia de Felicidade.
Ana

http://a_verdade_da_mentira.weblog.com.pt/

Carla

é a força e perseverança que nos mantém em luta pela vida...
Parabéns pela coragem...

amita

Querida Carmem és uma lutadora, uma mulher cheia de força , por isso te dou os parabéns. Esta é uma história mirabolante da tua vida que felizmente acabou bem, como merecias. Bjokas grandes amiga

Related Posts with Thumbnails
 
BlogBlogs.Com.Br