Monday, June 23, 2008

Mutismo Seletivo

Dedico este post de hoje a uma linda menina, inteligente, alegre, simpática, um anjo precioso em minha vida, minha linda Carmencita, uma princesinha tímida e muda seletiva, que, como qualquer outra criança é total merecedora de todo Amor, Carinho, Afeto e Compreensao possíveis...



Espero com este texto, extraído de várias fontes e estudos pessoais do papai Rafael, ajudar a tantos outros pais que sofrem calados por nao compreender bem sobre este problema nao tao frequente, mas real... O texto é longo, mas vale a pena "perder" um pouco de tempo para poder ler e compreender sobre este problema que afeta 7 em cada 1000 crianças, dos quais 80% sao meninas...



A todos deixo meus beijos, flores, sorrisos eternos e muito Amor a todos os Mudos Seletivos que tanto necessitam de carinho, compreensao e, sobretudo, RESPEITO...


Mutismo Seletivo


Mutismo seletivo é uma condiçao de ansiedade social, onde uma pessoa que é capaz de falar é incapaz de se expressar verbalmente em determinadas situaçoes.

No Manual de Estatística e Diagnose de Desordens Mentais, o Mutismo Seletivo é descrito como uma desordem psicológica pouco frequente nas crianças. Crianças (e adultos) com este tipo de problema sao completamente capazes de falar e compreender a linguagem, mas nao o fazem em determinadas situaçoes sociais, quando é o que se espera deles.
Funcionam normalmente em outras áreas do comportamento e aprendizado, embora se privam severamente de participar em atividades de grupo. É como uma forma extrema de timidez, mas a intensidade e duraçao a distingue. Como por exemplo, uma criança pode passar todo o tempo completamente calado na escola, por anos, mas falar livremente ou excessivamente em casa.

Outras características sao, além da timidez extrema, o retraimento social, a dependencia e o perfeccionismo.

Esta desordem NAO é considerada uma desordem da comunicaçao, pois a maioria das crianças se comunica através de expressores faciais, gestos, etc.

Ao realizar o diagnóstico, pode ser confundido facilmente como um tipo seletivo de Autismo ou Síndrome de Asperger, especialmente se a criança atua de modo retraído na presença do psicólogo. Isto pode levar a um tratamento incorreto.

O Mutismo Seletivo é caracterizado por:


  • Fracasso consistente para falar em situaçoes sociais específicas (por exemplo, na escola, onde existe a expectativa de falar) apesar de expressar-se verbalmente em outras situaçoes.
  • Interfere nas conquistas educacionais ou laborais, ou com a comunicaçao social.
  • O fracasso para falar nao se deve a falta de conhecimento do idioma falado requerido na situaçao social.
  • Nao se considera como uma desordem da comunicaçao (a exemplo da gagueira), e nao ocorre exclusivamente durante uma esquizofrenia ou outra desordem psicótica.
Ainda nao foram estabelecidas as causas, mas há evidencias de que existem um componente hereditário e que também é mais comum em meninas que em meninos e normalmente é percebida antes dos 5 anos de idade embora a maioria dos pais e/ou profissionais somente se apercebam do problema quando a criança começa na vida escolar.

Entre os aspectos negativos estao:

  • Os portadores do Mutismo Seletivo encontram dificuldade em manter contato visual.
  • Com frequencia nao sorriem em público ou em expressoes vazias (sempre em público).
  • Se movem de forma rígida e torpe.
  • Nao podem manejar situaçoes onde se espera que falem normalmente, como uma saudaçao, uma despedida ou um agradecimento.
  • Tendem a preocupar-se mais com as coisas de que o restante das pessoas.
  • Podem ser muito sensíveis ao ruído e ao excesso de gente.
  • Encontram dificuldade em falar sobre si mesmos ou expressar seus sentimentos.
Entre os aspectos positivos estao:

  • Inteligencia e percepçao superior aos demais, sao curiosos.
  • Sao sensíveis aos pensamentos e emoçoes alheias (empatia).
  • Tem um grande poder de concentraçao.
  • Com frequencia tem um bom sentido do que é correto, incorreto e de justiça.
Os fatores mais relevantes no ambito escolar sao:

  • Geraçao de expectativas negativas por parte dos professores e dos alunos com relaçao a possivel evoluçao e normalizaçao da fala da criança com Mutismo Seletivo. Tantos os professores como os colegas pensam e verbalizam que o Mudo Seletivo nao fala, nem vai falar.
  • Acomodaçao do entormo as dificuldades do Mudo Seletivo. O aluno deixa de fazer certas atividades academicas porque nao fala (nao vai ao quadro, nao participa de atividades com perguntas orais), os companheiros se tornam “intérpretes” do Mudo Seletivo, que responde sempre mediante gestos.
  • Diminuiçao de situaçoes em que é necessária a comunicaçao oral. Nem os professores nem os colegas pedem ao Mudo Seletivo respostas orais.
Os fatores relevantes no ambito familiar e social sao:

  • Excessiva atençao recebida pelo fato de nao falar. Há interesse excessivo por parte da família e/ou conhecidos em saber repetidamente se o Mudo Seletivo falou no colégio, e de ter falado, com quem, quanto e como.
  • Alto nível de exigencia por parte dos pais para que falem e falem bem. Os pais se mostram excessivamente exigentes na correçao da fala.
  • Superproteçao familiar. Dependencia excessiva do adulto, com pouco desenvolvimento de hábitos de autonomia pessoal e de comportamentos responsaveis.
Os fatores relevantes relacionados com características de personalidade e condiçoes pessoais:

  • Rigor excessivo, meticulosidade e perfeccionismo que nao permitem ao Mudo Seletivo enfrentar situaçoes das quais tenham medo de fracassar.
  • Excessiva inibiçao social, timidez e retraimento que dificultam relaçoes interpessoais.
As razoes para que se faça uma intervençao o quanto antes, no que se refer ao diagnóstico e tratamento do Mutismo Seletivo, se deve ao fato de, como transtorno, o Mutismo Seletivo forma parte de uma situaçao continua que vai desde os que se comunicam oralmente mas só o fazem de maneira esporádica (aversao a falar), passa pelos que selecionam as pessoas e as situaçoes nas quais vao falar (Mutismo Seletivo) e finaliza com as crianças que vao restringindo progressivamente as situaçoes e as pessoas, até deixar de falar completamente (Mutismo Total).

A experiencia demonstra que se se permite que o problema se mantenha no tempo, nao somente nao desaparecerá, como tamém que com muita probabilidade se agravará. A criança irá ampliando a rejeiçao a falar em mais situaçoes e com mais pessoas. Daí a importancia de intervir o mais cedo possivel.

Dado a origem multicausal do mutismo, a intervençao deve contemplar a atuaçao dos ambitos familiar, social e escolar.

A intervençao deverá ter em conta as seguintes questoes:

  • Tanto as atitudes de superproteçao como as que tendem a minimizar ou ignorar o problema e que tem como objetivo nao provocar sofrimento nas crianças, nao fazem mais que reforçar e incrementar o mutismo.
  • As situaçoes comunicativas naturais nao sao suficientes para superar o mutismo. É necessário planificar e desenhar outras situaçoes, garantindo sempre o exito dos intercambios comunicativos da criança.
  • A exigencia deve ser ajustadas a uma progressao e se deve manter ao longo de todo um processo, evitando a tendencia natural a acomodaçao, no nível alcançado, tanto das crianças, como do ambiente.
  • A necessidade de rigor e sistemática e a diversidade de ambitos afetados exige a coordenaçao de todos os implicados.
O objetivo final da intervençao é que a criança com Mutismo Seletivo seja capaz de interagir verbalmente de forma espontanea com adultos e crianças, na escola e no entorno social e familiar, levando a cabo petiçoes verbais espontaneas e respondendo de forma audível as perguntas que lhes sejam feitas.

É preciso fortalecer a estrutura de personalidade da criança com Mutismo Seletivo, melhorando suas condiçoes pessoais, familiares e sociais, adotando medidas específicas relacionadas com as dificuldades de comunicaçao e fala da criança nas situaçores e contextos sociais concretos, com o objetivo de minimizar a dificuldade e melhorar a situaçao geral.

No entanto, pode haver crianças para as quais estas pautas gerais nao sejam suficientes, nestes casos, o processo de intervençao deverá ser planificada de maneira mais exaustiva e específica, levando em conta as condiçoes e características da criança e dos entornos nos que se desenvolvem.

Pautas para melhorar as condiçoes familiares, pessoais e sociais:

  • Oferecer a criança com Mutismo Seletivo um ambiente seguro, comunicaçao, serenidade, compreensao e afeto.
  • Eliminar atitudes de superproteçao.
  • Manifestar confiança nas possibilidades da criança e na superaçao do problema.
  • Evitar os estilos de autoridade rígidos e a exigencia excessiva da perfeiçao da criança.
  • Desenvolver hábitos corretos de autonomia e rotinas na dinamica familiar adequados a idade da criança em relaçao a alimentaçao, higiene, vestimenta, ordem...
  • Desginar responsabilidades adequadas para a idade da criança e que repercutam positivamente na família.
  • Estabelecer normas básicas de funcionamento no lar.
  • Incidir no positivo, destacando os pontos fortes da criança, reforçando as tarefas que a criança realiza adequadamente e utilizando com frequencia o reforço social.
  • Buscar atividades físicas de caráter lúdico que permitam descarregar as tensoes que experimentam as crianças durante a jornada escolar.
  • Facilitar ao máximo a interaçao com os companheiros, vizinhos e amigos de sua idade (atividades extra-curriculares, saídas, parques, festas, espetáculos).
  • Manter uma comunicaçao recíproca e continuada com a escola para coordenar as açoes.
Pautas específicas para a estimulaçao da fala:

  • Ensinar condutas adequadas de interaçao social nao verbal e verbal (como as saudaçoes, como pedir para brincar, como se aproximar...)
  • Atuar como mediador com outras crianças (começar a brincar com a criança e os outros para facilitar a interaçao entre eles).
  • Brincar com a criança e outras crianças com jogos que requeiram uma produçao verbal limitada (dominó, jogos de cartas, entre outros).
  • Planejar situaçoes que facilitem a comunicaçao verbal com outros (convidar outras crianças a casa, ir as compras, ao parque ou a praça, festas de aniversário...).
  • Reforçar todas as aproximaçoes verbais e nao verbais da criança com outros companheiros (comentar como é agradável estar e brincar com os outros, ter amigos, convidar amigos para visitar a casa...).
  • Ampliar progressivamente o círculo de amigos com os que começa a falar (repetir as situaçoes exitosas com frequencia e introduzir, pouco a pouco, as novas relaçoes).
  • Elminiar comentários que façam referencia a que nao fala, (perguntar se falou na escola, se cantou uma música, quando vai começar a falar...).
  • Nao reclamar nem antecipar consequencias negativas (nao ameaçar com possiveis castigos).
  • Evitar as comparaçoes com outros irmaos, companheiros ou outras crianças.
  • Evitar comentários que sugiram quando pode começar a falar, quando é o momento correto, como pode faze-lo.
  • Nunca forçar a falar em situaçoes sociais nas quais se observe ansiedade excessiva (nao insistir que responda a um cumprimento ou perguntas de amigos ou conhecidos).
Fontes:
es.wikipedia.org/wiki/Mutismo_selectivo
http://www.pnte.cfnavarra.es/creena/002conductuales/Guia%20mutismo%20selectivo.htm, por Carmen Cortez Urban, Consuelo Gallego Gallego, M. Pilar Marco Gallo, Iñaki Martinez Urmeneta, Carlos Ollo Oscariz.

PS: A propósito, Carmencita é uma menina extremamente alegre mas que se expressa oralmente unicamente comigo (a mae), Rafael (o pai) e Lucas (o irmao mais velho). Com os demais familiares e amigos ela se comunica muito bem com gestos, sorrisos, olhares e muita simpatia. Apesar de nao se expressar oralmente com os demais, demonstra carinho e afeto pelos seres queridos, vai normalmente a escolinha, brinca com os amiguinhos, é considerada a melhor aluna de toda a escola, e, para completar, acreditem, fala fluentemente Ingles (o seu idioma nativo), Espanhol e Portugues (suas duas segundas linguas)... Sem sombra de dúvidas, é sim, um verdadeiro anjo... e aí eu me pergunto: "Falar pra que?" (risos) ... :o)

22 Deixaram aqui suas Palavra(s) de Amor:

Cadinho RoCo

É tudo tão interessante porque sinto haver um processamento coordenado que foge às nossa percepção, mas que ampara a mudez seletiva. Por fim, o amor parece ser o grande remédio. Sem anseidade, sem exageros e sem pressões. A propósito,a Carmensita é linda e em sua ecxpressão há um discurso.
Cadinho RoCo

Marta

Interessante o texto; em alguns pontos revi-me - continuo a não gostar de estar no meio de muita gente e parece que nunca sei o que dizer..
A Carmencita está enorme e bonita...
Gostei imenso de ver a minha sobrinha adoptiva...
Beijos enormes para as duas...
Marta

Nilson Barcelli

A Carmencita é tão linda...!!!
Oxalá ela vá melhorando através das práticas que o texto indica.

O seu post é muito interessante, pois há pessoas que desconhecem essa doença (eu, por exemplo) e, assim, ficam a saber algumas coisas acerca dela.

Beijinhos para a Carmencita e para vc cara amiga.

O Profeta

És uma virtuosa da palavra...

Doce beijo

janielle
This comment has been removed by the author.
janielle

pesquisando muito sem muito resultado achei seu blog que me chamou muito atençao tenho 2 filhas que sao gemeas de 5 anos e nao falam fora de casa somente alguns da familia que sao mais proximas.Mas sao muito vaidosas adora as pessoas (que elas nunca falaram)na escola estao começando a ficar esoladas das outras crianças pois nao conseguem manter contato para brincar. desabafo....................

ardnas

Estive a pesquisar sobre o tema, e achei o seu blog. Tenho uma menina com este problema. Não sei se posso chamar de "problema". Só descobrí quando ela entrou para o Jardim de infância este ano.Não sei se as discussões (muitas) que tenho com o pai foi a causa do mutismo???. Ela é muito inteligente, a melhor da turma nos desenhos, nos jogos....só que recusa a falar.....
Desabafo......
Felicidades para a sua carmensita

Cristina

Oiii! Tenho um menino com 10anos o Lucas que desde os dois anos me (preocupa).È uma criança alegre,inteligente,que adora desenhar nos minimos detalhes ,fala até demais em casa.mas,quando saimos se transforma simplesmente parece uma criança com alguma deficiencia.Ele não cumprimenta ninguém se o faz é bem baixinho.Até interaje com os outros mas é com dificuldade.Há pessoas que acham que ele é (doente) e me doi ouvir isso quando sei que ele é (normal).E o pior desde pequeno que converso com os Pediatras sobre isso e eles dizem que é normal a criança agir assim ,é timidez.Ele nunca conversou com nenhum Pediatra,faz tratamento para epilepsia e a Neuro poucas vezes ouviu sua voz.Adora voar nos jogos de computador.Foi pesquizando que consegui chegar ao que acho ser o problema dele,pois os sintomas são iguais.Agradeço o seu post pois me ajudou muito.Meu filho é muito amado e para mim é completamente normal,é pena que poucas pessoas estão prontas para lidar com as diferenças incluindo MEDICOS mais preparados,PROFESSORES que ajudem nossos filhos ao invés de deixá-los de lado e Amigos que Amem nossos ANJOS como eles são pois mesmo assim meu filho de apenas 10 anos me dá uma linda lição de AMOR e VITÒRIAS.Beijos Flores e muitos Sorrisos e LUZ para voces.

Anonymous

Minha filha tbm é muda seletivamente, ela tem 6 anos e há 2 anos ela não fala na escola, com alguns parentes e amigos...
Seu texto me emocionou muito. Sofro diariamente com isso porque essa incapacidade dela fere meu coração. Ainda não consegui aceitar e absorver essa condição por completo.
Ah! ela fala português perfeitamente, inglês fuentemente e está aprendendo espanhol, mas em casa só. Obrigado, muito bom seu texto.
Beijos solidários e carinhosos
Paula (paulamroliveira@hotmail.com)

Mundo do Sabor

Oi querida, tenho uma filha de 6 anos,quase 7 A Alice, que há 3 anos, apresenta mutismo seletivo.Ela não se comunica na Escola, só fala comigo,o Papai, a irmãzinha, e algumas crianças da rua as quais brinca, ela está começando a interagir mais com as amiguinhas da rua, estou colocado-a para brincar com elas.Tive problemas com a professora do ano passado, que não tinha sensibilidade suficiente para entender este momento da minha filha, sim ,digo momento porque sei que via passar, ela está assim, não é assim, como vocÊ disse na comunidade de mutismo seletivo no orkut, o amor é o melhor remédio, ela está fazendo reiki, procuro tratamento há mais de 1 ano, e finalmente no dia 26 de fevereiro está marcado o último médico para começar o tratamento.Aqui o processo é muito lento.Carmem é muito bom poder trocar idéias com outras mães ,que tem crianças com mutismo seletivo,sentimos que não estamos sós, e que juntas iremos ajudar nossos filhos a superar este problema.
Já começaram as aulas da minha princesa,ela me falou que gostou da Pró, que é uma pessoa educada,carinhosa,totalmente diferente da anterior.
Com fé em Deus, nossos amores, já estão curados!

Beijos

Rosiane
Carvalho

Vitor Kawasaki

achei bastante interessante esse texto. Pude compreender um pouco do que se passa comigo, já passei por muitos desses fatores, demorou anos pra conseguir passar alguns obstáculos, mas ainda há muita coisa. Já fazem anos que tenho alguma dessas características. já estou com mais de 20 anos de idade e continuo com alguns sintomas. Agora que sei o que tenho, vou procurar alguma coisa pra melhorar. Em todo lugar que vou acabo sendo a pessoa quieta da turma.

Aldrin Duarte

Tema muito bem explorado.Parabéns!

Descabelada EU ?

Olá,

Hoje comecei a pesquisar sobre minha filha de 4 anos nao falar na escola.
Ela comcecou o ano letivo em Agosto, ( moramos nos eua ).

Ela aprende tudo na escola e repete em casa, mas na hora de falar com as duas professoras, esquece !

Eu acheu que era timidez mais lendo sobre o mutismo, muitos aspectos se em caixam...

Para vcs que tem filhos(as) com mutismo, o que fizeram?

beijos a todas vcs, mamaes, papais e filho(as)..
Vanessa

Rita

Olá, meu filho tem 5 anos e todos os sintomas do mutismo seletivo, como há poucas fontes de informações sobre isto, achei ótimo o seu blog, vai me ajudar muito a lidar com meu filho com mais paciência e entender melhor o que ele está passando.
Obrigada
Rita

Deus Cura

Ola Gostaria de Dizer q a minha pequena tambem estava com esses sintomas e o diagnostico foi o mesmo dos filhos de vcs.
Nao sei qual a crença ou Religiao de vcs mais saibam q DEUS E TD E FOI ELE QUEM CUROU A MINHA LINDA FILHA ELA JA NAO QUERIA NE FALAR COMIGO, ENQUANTO ELA DORMIA CLAMEI A DEUS OREI E JA DETERMINANDO Q AKELE MAU SAISSE DAS NOSSAS VIDAS E JA ACREDITANDO NA CURA E VITORIA DELA, EM ALGUNS DIAS ELA JA FALAVA COM TDS ATE PESSOAS Q ACABARA DE CONHECER! NESSE MUNDO SO HA UM MEDICO DOS MEDICOS O SENHOR TDO PODEROSO Q OUVIRA COM CERTEZA O APELO DOS PAIS IMPLORANDO LHE A CURA E LIBERTAÇAO DE SEUS FILHOS!!AGRADECO E GLORIFICO A DEUS PELA CURA DA MINHA FILHA!!! TENHAM FE E RECEBAM A VITORIA DO DEUS Q E MISERICORDIOSO!!!! AMEM MEU DEUS.

Deus Cura

OBS: Eu escrevi para vcs pq foi lendo esse blog q tive a iluminacao q precisava para orar para minha filha, pois ela tambem como a de vcs e inteligentissima linda!!! meu presentinho (como me refiro a ela)
presentinho q Deus me deu!!! Deus curou qndo tdos indicavam psicologos psiquiatras etc neguei td isso e apelei supliquei a Deus!
Q Deus os iluminem!!!!

Tia Ro

Olá fico horas pesquisando na net e tenho um caso de uma aluna que tem o mutismo seletivo, mas acredite já está falando comigo depois de um mês de terapia de afeição e carinho, trabalhei várias atividades que não dão oportunidade de gestos e daí foi fluindo os primeiros sussurros, gostaria de saber se conseguimos amparar estas crianças dentro da lei porque não conseguem fazer prova oral? mas tenho esperança que ainda vamos conseguir que eles descubram a segurança e venham a falar em público, parabéns pela sua familia.

Daniele Lopes

Oi, meu nome é Daniele, sou mãe de um menino de 7 anos que é (ou posso dizer que era), mudo seletivo!!
Desde 2 anos de idade que percebi que meu filho "não falava".
Levei em vários pisicologos, fonoaldiologos... E nada!
Ele sempre agiu normalmente dentro de casa, conversa comigo e com o pai, mas não fala na escola, em festas e em lugar nenhum!Isso me preocupava muito porque ele está em uma série que ele precisa ler, ele ficou reprovado o ano passado porque não leu! " Nunca falou com nenhuma das tias" Até que um dia ele me pediu um irmãoziho!
Então, enfim depois de sete anos dei a ele o tão esperado irmãozinho q ele tanto queria!!!
O Miguel está hoje com 4 meses e a 2 meses atrás o Matheus começou a falar na escola!
Fico emocionada.... Ela parece outra criança, está muito mais feliz!
Poço dizer que o meu filho continua timido, mas não é mais um " Mudo seletivo", ele conversa com os colegas, até lê para a professora!
Ter um irmão mexeu muito com ele, ele é apaixonado pelo irmãozinho, nem teve cíumes!
Agradeço a Deus todos os dias pelo progresso na vida dele!!
Beijos e abraços.... De uma mãe muito feliz!!

Daniela
This comment has been removed by the author.
Daniela
This comment has been removed by the author.
Carol

Meu nome é Carol, eu tenho 19 anos e sofro de mutismo seletivo. Estou começando o 1º semestres na faculdade; terei que fazer seminários e só de pensar me faz querer desmaiar na hora ao invés de me apresentar. A primeira coisa que eu pensei foi beber uns copos de vodka antes do seminário, mas agora estou pesquisando remédios para ansiedade, o pior que pode acontecer é eu morrer.
Tenho certeza que sofro desse transtorno, em público ando que nem uma robô - foi o que me disseram- ; odeio que me toquem, quando tocam no meu braço eu me afasto bruscamente no mesmo segundo; não consigo falar com mais de uma pessoa; e estou sempre evitando locais cheios, chego até mudar de calçada ou paro de frequentar tal local.

haliene lima

Olá, meu nome é Karen, sou mãe da Yasmin de 5 anos e 6 meses. Minha filha entrou na escola pública (creche) aos 3 aninhos, até então falava "normal" para idade dela, porém durante as reuniões de pais as professoras comentavam que a Yasmin não conversava em aula, nem com os coleguinhas. Acheis estranho, procurei saber se tinha acontecido algo na escola, pois, em casa conversava normalmente. Não obtive êxito.Terminou o ano letivo sem sucesso na fala. Ano seguinte fiz um teste até no meio do ano, ela continuou não conversando, interagia os colegas, brincava, fazia as lições em sala, porém não conversava. No segundo semestre mudei-a de escola, coloquei em uma particular, mas os problemas continuaram. Procurei um neuropsiquiatra infantil, foram feitos exames de eletroencefalograma e tomografia cerebral, resultados sem anormalidades, completamente normais. Então procurei por tratamento psicológico, e foi diagnosticada com Mutismo Seletivo. Na sétima sessão com a psicóloga ela começou a conversar ( com a psicóloga), mas ainda não obtivemos sucesso na escola, estamos na 14º sessão, e a psicóloga nos pediu (a mim e a meu marido) para não cobrarmos ela (a Yasmin) a conversar na escola pois assim a deixamos mais ansiosa. Estamos aguardando melhoras para minha filhota.

Related Posts with Thumbnails
 
BlogBlogs.Com.Br